Venda de ações da Petrobras rende R$ 22 bi ao BNDES; estreia da Locaweb na B3, novo CFO da Ambev e mais destaques

Plataforma Petrobras

SÃO PAULO – Em destaque no radar, o BNDES arrecadou R$ 22 bilhões com a venda da fatia de 9,6% das ações ON da Petrobras. A estreia da Locaweb na bolsa um dia após o primeiro pregão da Mitre, a mudança de CFO da Ambev também ganham destaque.

Já a Localiza Hertz, maior locadora de carros do Brasil, fará uma emissão de debêntures no valor de R$ 1 bilhão, com vencimento para 2025. A empresa decidiu realizar a emissão após reunião do Conselho na sede, em Belo Horizonte (MG). Já a Sanepar, Companhia de Saneamento do Paraná, também planeja realizar uma emissão de debêntures em breve, no valor de R$ 350 milhões. Os papéis terão vencimentos em 2027 e 2029. Confira no que ficar de olho:

Petrobras (PETR3;PETR4)

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) vendeu a fatia de 9,6% das ações com direito a voto (ordinárias) que detinha da Petrobras por cerca de R$ 22 bilhões. O movimento é simbólico: reduz drasticamente o investimento do banco de fomento em empresas e, ao mesmo tempo, marca a redução da participação do governo na estatal. Hoje, o governo detém 50,2% da petroleira.

A quantidade inicial de 611,8 milhões de ações ON foi acrescida em 20%, ou 122,4 milhões, por meio de lote adicional. A data prevista para início de negociação das ações é 7 de fevereiro. A CVM confirmou o preço por ação de R$ 30 em oferta de ações.

Em pouco mais de seis meses, o governo vendeu, indiretamente, quase 13% das ações ordinárias da Petrobras, em ofertas públicas de ações na Bolsa. No ano passado, a Caixa vendeu 3,2% e embolsou R$ 9,6 bilhões. Para que a participação do governo caia abaixo de 50% seria necessário mudanças na lei do petróleo. Hoje, a regra determina que o governo precisa deter 50% mais uma ação ON da Petrobras.

Ambev (ABEV3)

O Conselho de Administração da Ambev aprovou indicação de Lucas Machado Lira para substituir Fernando Mommensohn Tennenbaum, que assumirá a posição de CFO na Anheuser-Busch Inbev, segundo comunicado da companhia na noite de quarta-feira.

Localiza (RENT3

A Localiza Hertz, maior locadora de automóveis do Brasil, realizará uma emissão de debêntures no valor de R$ 1 bilhão. A empresa decidiu realizar a operação após uma reunião do Conselho de Administração, na sede em Belo Horizonte (MG). A empresa definirá a data da emissão dos papéis, que terão vencimento em 2025.

Oi (OIBR3;OIBR4)

A Oi, em recuperação judicial, confirmou que contratou o banco de investimentos Lazard como seu assessor financeiro para prospectar e estruturar operações que envolvam alternativas que assegurem seu plano de investimentos e a aceleração da expansão dos seus projetos em fibra.

Segundo a operadora, o Lazard e o Bank of America Merrill Lynch, que segue nos processos de alienação de determinados ativos “non-core”, atuarão de forma coordenada na avaliação de alternativas estratégicas envolvendo fibra e outros ativos da Oi, “com o objetivo de maximizar a criação de valor e ampliar as fontes de financiamento para a execução do plano de investimentos da companhia e expansão de fibra”, disse a empresa em comunicado.

“Essa iniciativa está alinhada ao objetivo de aprofundar a transformação estratégica, operacional e financeira da Oi, a partir de uma visão de longo prazo, abrangendo as tendências tecnológicas, de mercado e de inovação e permitindo o suporte adequado à implementação do seu plano estratégico”, acrescentou a operadora.

Cia. Hering (HGTX3)

A Cia. Hering anunciou novo programa de recompra de até 1,49 milhão de ações, o que corresponde a 1,17% do total de papéis ordinários em circulação. Segundo a varejista, a recompra é para permanência em tesouraria e posterior alienação ou cancelamento, bem como para utilização em planos de opção de compra de ações ou outras formas de remuneração baseada em ações.

Sanepar (SAPR11

A Sanepar – Companhia de Saneamento do Paraná -, prepara a emissão de R$ 350 milhões em debêntures sênior, com vencimentos para 2027 e 2029. A operação deverá ser feita no Brasil, em data a ser informada pela companhia.

Locaweb (LWSA3)

A Locaweb fará sua estreia na B3 nesta quinta-feira. A empresa do segmento de hospedagem de sites levantou R$ 1,03 bilhão em sua oferta inicial de ações (IPO, na sigla em inglês. O preço de referência é de R$ 17,25, no topo do intervalo definido antes da operação, que começava em R$ 14,25. A empresa estreia na B3 avaliada em R$ 2,15 bilhões.

Klabin (KLBN11

A Klabin, fabricante de papel, celulose e embalagens, informou na manhã de hoje que obteve um lucro líquido de R$ 631 milhões no quarto trimestre de 2019, uma expansão de 204% sobre o lucro do trimestre anterior, que foi de R$ 207 milhões. Em comparação a igual período de 2018, contudo, o lucro líquido caiu 31%. No fechado de 2019, a Klabin teve lucro líquido de R$ 715 milhões, uma expansão de 283% sobre 2018. A margem EBITDA ajustada de Klabin no quarto trimestre ficou em R$ 965 milhões; ela recuou 31% sobre o terceiro trimestre do ano passado e 15% sobre igual período de 2018. No fechamento de 2019, o EBITDA de Klabin cresceu 7% sobre 2018, para R$ 4,3 bilhões.

O balanço da Klabin mostrou que o endividamento da companhia permanece alto, subindo de R$ 12,3 bilhões (2018) para R$ 14,3 bilhões em 2019, uma alta de 16%. A relação dívida líquida/EBITDA passou de 3,1X em 2018 para 3,3X em dezembro de 2019, o que é um nível preocupante. A empresa ressalta, contudo, que o último trimestre de 2019 foi um período de recuperação para os mercados de papel, celulose e embalagens, com crescimento de 4,5% nas vendas de papelão ondulado no mercado brasileiro.

Daycoval (DAYC3) 

O Banco Daycoval (DAYC3), especializado no atendimento a empresas, anunciou na noite de ontem um lucro líquido de R$ 288 milhões no quarto trimestre de 2019, em expansão de 46,5% sobre igual período de 2018. Já no ano inteiro de 2019, o lucro líquido do Daycoval foi de R$ 983,9 milhões, um crescimento de 50,4% sobre 2018.

No ano de 2019, as operações de crédito somaram R$ 3,2 bilhões, expansão de 7,6% sobre os R$ 3 bilhões de 2018. O total de ativos sob controle do Daycoval cresceu 20% em 2019, para R$ 34,8 bilhões. A carteira de crédito ampliada teve expansão mais robusta, de 38,8% em 2019, para R$ 27,3 bilhões.

BR Properties (BRPR3

A Brasil Properties, empresa administradora de imóveis comerciais, informou ontem que obteve um lucro líquido de R$ 311,3 milhões em 2019. A receita bruta da empresa caiu 6% para R$ 474,4 milhões. Segundo a empresa, a receita bruta de locação, que representa 96% do faturamento, caiu 7% em comparação a 2018, para R$ 455,8 milhões. A empresa explicou que a queda ocorreu em parte porque perdeu a receita dos aluguéis após a venda de 15 imóveis comerciais.

No total, a BR Properties somou R$ 1,58 bilhão com as vendas. A empresa atua em São Paulo e no Rio de Janeiro. Já a receita obtida com a administração de edifícios comerciais cresceu 2% em relação a 2018, para R$ 18,8 milhões. O EBITDA de 2019 foi de R$ 775,5 milhões. A receita líquida da empresa caiu 10% para R$ 379 milhões.

ABC Brasil (ABCB4)

O Banco ABC Brasil publicou na manhã de hoje seu balanço do quarto trimestre de 2019 e do ano passado inteiro. O ABC Brasil informou um lucro líquido de R$ 145,6 milhões no quarto trimestre de 2019, um crescimento de 11,6% sobre o trimestre anterior e de 78,1% em comparação a igual período de 2018.

No ano fechado de 2019, o lucro líquido do Banco ABC Brasil foi de R$ 528,4 milhões, um crescimento de 26,4% sobre o lucro líquido de R$ 418,1 milhões de 2018. O lucro líquido recorrente por ação do ABC Brasil, porém, registrou queda no quarto trimestre de 2019, tanto em comparação ao terceiro trimestre (-2,2%) como a igual período de 2018 (-4%). O lucro recorrente por ação foi de R$ 0,56 ao final do quarto trimestre do ano passado. Houve aumento da provisão para devedores duvidosos (PDD), que impactou em R$ 34,9 milhões o resultado no quarto trimestre. O resultado bruto da intermediação financeira do Banco ABC Brasil foi de R$ 734 milhões, enquanto o resultado operacional foi de R$ 638,5 milhões. A carteira de crédito expandida encerrou 2019 com R$ 30,1 bilhões, uma expansão de 14,9% sobre 2018.

Recomendações

As empresas de telecomunicação Vivo (VIVT4) e TIM (TIMP3) foram iniciadas como outperform pelo BBVA. As Empresas do setor também devem ficar de olho na votação pela Anatel da proposta de edital para o leilão do 5G, que será retomada nesta quinta-feira. A proposta deve prever uma ampliação em 100 MHz da faixa de 3,5 GHz – a que desperta mais interesse entre as quatro que serão leiloadas – como forma de reduzir a interferência do serviço 5G no serviço de televisão por parabólica, segundo o G1.

Já o Credit Suisse rebaixou as recomendações de três construtoras brasileiras. A EzTec (EZTC3) e Tenda (TEND3) foram rebaixadas de outperform a neutra. Tecnisa (TCSA3) teve recomendação revista de neutra para underperform. Já o Fleury (FLRY3) teve a recomendação reduzida para manutenção pelo HSBC, com preço-alvo de R$30.

(Com Agência Estado e Bloomberg)

Seja sócio das melhores empresas da Bolsa: abra uma conta na Clear com taxa ZERO para corretagem de ações

The post Venda de ações da Petrobras rende R$ 22 bi ao BNDES; estreia da Locaweb na B3, novo CFO da Ambev e mais destaques appeared first on InfoMoney.

Deixe um comentário