Os 5 assuntos que vão movimentar o mercado nesta segunda-feira

SÃO PAULO – Após uma primeira semana do ano de forte alta para os principais índices mundiais, o que inclui o Ibovespa, que fechou a sexta-feira acima dos 125 mil pontos, a sessão desta segunda-feira (11) é de leve queda para as bolsas internacionais. O movimento é de realização de lucros e também monitorando a aceleração de casos de coronavírus, além de acompanhar a reta final do governo Donald Trump em meio à possibilidade de início do processo de impeachment.

Por aqui, relatório Focus, o noticiário sobre a vacina e a disputa na Câmara seguem chamando a atenção dos investidores. Confira no que ficar de olho:

1. Bolsas mundiais

As bolsas mundiais têm em sua maioria quedas nesta segunda-feira, com sinais de aceleração de contaminações e mortes por covid em economias importantes.

O mercado de ações vem de uma semana de fortes altas. Apesar da violenta invasão ao Capitólio, centro do poder Legislativo nos Estados Unidos, que resultou em cinco mortes, investidores mantiveram o foco na perspectiva de estímulos adicionais à economia.

Com o resultado favorável das Eleições para o Senado no estado da Geórgia na semana passada, democratas garantiram o controle do Congresso, além da Presidência do país, o que os coloca em posição para aprovar um pacote adicional.

Durante as negociações do pacote de estímulos atual, de US$ 900 bilhões, o líder da maioria republicana no Senado, Mitch McConnel, resistiu à adoção de um valor maior, como era defendido por líderes democratas.

Na sexta (8), o presidente eleito, Joe Biden, afirmou que pretende aprovar um pacote de estímulos robusto, com valor na casa dos “trilhões de dólares”.

No mesmo dia, o Departamento de Emprego dos Estados Unidos havia informado o corte de 140 mil postos de trabalho, um sinal de desaceleração da economia. A sexta também marcou o recorde de novos diagnósticos de covid no país, 300.594. O recorde de mortes no país fora registrado um dia antes, na quinta (7), com 4.112 casos.

O índice S&P 500 Futuro recua 0,54%; o Nasdaq Futuro cai 0,40%; o Dow Jones Futuro recua 0,60%.

Biden deve realizar na terça (12) um anúncio formal com mais detalhes sobre seus planos para o pacote de estímulos. Ele deve assumir no dia 20.

Além disso, líderes democratas se preparam para iniciar um novo processo de impeachment contra o presidente republicano Donald Trump, que exortou apoiadores a marcharem sobre o capitólio pouco antes de a sede do legislativo ser invadida.

No domingo (10), a líder democrata Nancy Pelosi, presidente da Câmara, entregou um ultimato no qual afirma que Trump é uma ameaça urgente à nação.

Haverá uma tentativa de remoção do presidente por duas frentes. Primeiro, a Câmara, dominada pelos democratas, deverá aprovar uma resolução não vinculante exortando o vice Mike Pence a invocar a 25ª emenda constitucional. Ela prevê que, caso o presidente seja incapaz de executar suas funções, o vice deverá assumir o controle da Presidência.

Pelosi afirmou que Pence terá 24 horas para responder. Caso o vice não se mobilize pela remoção de Trump, a Câmara deverá iniciar o procedimento de impeachment. Para que isso ocorra, democratas precisariam obter apoio de congressistas republicanos.

Na Europa, investidores focam na alta de casos globais de coronavírus mundialmente, enquanto economias importantes buscam acelerar a vacinação de trabalhadores da área de saúde e de idosos, a faixa etária mais vulnerável à covid.

Na sexta, o Reino Unido voltou a bater seu recorde de novos casos de covid em um único dia, com 68.053 diagnósticos. Foram registradas 1.325 mortes, também um recorde. Pelo final de semana, a rainha Elizabeth e seu esposo, príncipe Philip, ambos com mais de 90 anos, foram vacinados.

Na quinta-feira (7), a Alemanha registrou seu recorde de mortes em um dia, 1.152. O recorde de novos casos fora registrado em 30 de dezembro, 49.044.

O índice Eurostoxx recua 0,34%; o Dax, da Alemanha, cai 0,56%; o FTSE 100, do Reino Unido, cai 0,51%; o CAC 40, da França, recua 0,54%; e o FTSE MIB, da Itália, cai 0,42%.

O primeiro-ministro francês Jean Castex afirmou que a vacina desenvolvida pela farmacêutica Moderna deve chegar ao país nesta segunda, de acordo com informações da agência internacional de notícias Reuters. O governo já vem aplicando o imunizante desenvolvido pela parceria entre Pfizer e BioNTech, mas recebeu críticas pela velocidade do processo de vacinação.

Os mercados asiáticos tiveram em sua maioria quedas na segunda-feira, após uma semana marcada por fortes altas. O índice Nikkei não operou devido a feriado nacional.

O Hang Seng Index, de Hong Kong, subiu 0,11%; o Kospi, da Coreia do Sul, caiu 0,12%; o Shanghai SE, da China, recuou 1,08%.

Shangai recuou com as preocupações com as tensões sino-americanas continuando a pesar sobre os mercados, enquanto um salto nos novos casos domésticos de Covid-19 também prejudicou o sentimento. No noticiário econômico chinês, a inflação do país fechou o ano passado em 2,5%, segundo dados do Escritório Nacional de Estatísticas (BNS) divulgados nesta segunda, uma redução em relação aos 2,9% de 2019.

Veja os principais índices às 7h30 (horário de Brasília):

Estados Unidos
*S&P 500 Futuro (EUA), -0,54%
*Nasdaq Futuro (EUA), -0,40%
*Dow Jones Futuro (EUA), -0,60%

Europa
*Dax (Alemanha), -0,56%
*FTSE 100 (Reino Unido), -0,51%
*CAC 40 (França), -0,54%
*FTSE MIB (Itália), -0,42%

Ásia
*Nikkei (Japão), (fechado)
*Hang Seng Index (Hong Kong) +0,11% (fechado)
*Kospi (Coreia do Sul), -0,12% (fechado)
*Shanghai SE (China), -1,08% (fechado)

Commodities e bitcoin
*Petróleo WTI, -0,82%, a US$ 51,81 o barril
*Petróleo Brent, -1,34%, a US$ 55,24 o barril
*Bitcoin, -12,52%, a US$ 35.561,52
Sobre o minério: **Contratos futuros do minério de ferro negociados na bolsa de Dalian com queda de 1,69%, cotados a 1046 iuanes, equivalente hoje a US$ 161,53 (nas últimas 24 horas).
USD/CNY = 6,48

2. Agenda de indicadores

Às 6h30 foi divulgado o índice Sentix, de confiança do investidor na Zona do Euro, que veio em 1,3 pontos em janeiro, acima da projeção de 0,7 e do patamar de -2,7 registrado no mês anterior.

No Brasil, atenção ao relatório Focus do Banco Central, com as previsões do mercado financeiro para os principais indicadores econômicos. O Focus reduziu marginalmente o IPCA de 2020 de 4,38% para 4,37% e de 2021 passou de 3,32% para 3,34%. Já a expectativa para o PIB foi de queda de 4,36% para tombo de 4,37%; de 2021 subiu de alta de 3,40% para 3,41%. A Selic para 2021 foi de 3% para 3,25% e de 2022 foi de 4,50% para 4,75%. A projeção de dólar ao final de 2021 foi mantida em R$ 5.

Às 14h, o presidente do Fed de Atlanta, Raphael Kaplan, discute economia e política monetária.

3. Alta de casos e mortes de covid

O consórcio de veículos de imprensa que sistematiza dados sobre Covid coletados por secretarias estaduais de Saúde no Brasil divulgou, às 20h de domingo (10), o avanço da pandemia em 24h no país, com forte alta de novos casos e mortes.

A média móvel de casos confirmados em 7 dias foi de 53.250, alta de 54% frente o período encerrado 14 dias antes. Em apenas um dia foram registrados 29.153 casos.

A média móvel de mortes em 7 dias foi de 1.016, alta de 65% frente o patamar de 14 dias antes, e o maior patamar desde 11 de agosto. Em apenas um dia houve 483 mortes.

Dezessete estados e o Distrito Federal têm altas de mortes. Belo Horizonte voltará a fechar o comércio nesta segunda (11), com exceção para serviços considerados essenciais. Em São Paulo, quatro regiões do estado entram na fase laranja, que, no entanto, o governo modificou de forma a tornar menos restritiva.

Salões de beleza, academias e parques passam a ser permitidos, mas o atendimento presencial em bares continua proibido. Sorocaba, Presidente Prudente, Marília e Registro entraram na fase laranja, enquanto o restante do estado foi mantido na fase amarela.

Em Manaus há recorde de enterros e hospitais lotados. Apenas o período entre 1º e 9 de janeiro houve 1.524 novas internações no estado, mais do que em todo o mês anterior.

Entre julho e setembro, a covid levou 10,8 mil trabalhadores ao afastamento, alta de 246% frente o patamar registrado nos três meses anteriores.

O Instituto Butantan testou e fez na sexta (8) o pedido para uso emergencial no Brasil da vacina CoronaVac, desenvolvida pela chinesa Sinovac e testada no país pela instituição.

Mas, pelo final de semana, a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) rejeitou parte da documentação, afirmando que não foram aceitos “os resultados da análise interna de desfecho primário do estudo clínico de fase 3”, que comprovam se a eficácia fica acima do patamar de 50% exigido. A análise não será paralisada, mas a Anvisa deve se manifestar apenas após os dados em falta serem apresentados.

Pela manhã de domingo, o governador de São Paulo, João Doria (PSDB) tuitou que “Ritos da ciência devem ser respeitados, mas devemos lembrar que o Brasil perde cerca de mil vidas [por] dia para a Covid-19. Com a liberação da Anvisa, milhões de vacinas que já estão prontas poderão salvar vidas”.

Já a análise da Anvisa sobre a vacina desenvolvida pela parceria entre Universidade de Oxford e AstraZeneca, testada no Brasil pela Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz), seguirá para a próxima fase. O pedido também foi realizado na sexta, e a Anvisa tem dez dias para responder.

4. Disputa na Câmara

Apoiado pelo atual presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), o candidato ao mesmo posto, deputado Baleia Rossi (MDB-SP), teve no domingo (10) uma entrevista publicada no jornal Folha de S. Paulo.

Rossi afirmou que, apesar das críticas à conduta de Bolsonaro sobre os planos de vacinação contra covid, não seria um “bom momento” para tratar de um eventual pedido de impeachment.

No mesmo dia, a atual presidente do Partido dos Trabalhadores, Gleisi Hoffman (PR) afirmou pelo Twitter que “dar resposta a crimes do Executivo é o item 3.6 do compromisso de Baleia Rossi com a oposição. Inclui analisar denúncias de crimes do presidente da República, mesmo que não haja acordo para aprovar impeachment. Ao negar o que tratamos e fechar essa proposta, Baleia perderá votos no PT”.

O partido faz parte do bloco que apoia a candidatura de Rossi contra o candidato de Jair Bolsonaro (sem partido), Arthur Lira.

Ainda no domingo, o candidato buscou demonstrar união em torno de sua candidatura. Pelo Twitter, escreveu “falei com a presidente Gleisi agora pouco. Ressaltei que vou honrar cada compromisso firmado com os partidos de oposição, o que inclui usar todos instrumentos constitucionais em defesa da democracia. Antecipar juízos agora não ajuda. O que disse à Folha mantém os princípios do que pactuamos”.

Também no domingo, o presidente da Frente Parlamentar da Agropecuária, deputado Alceu Moreira (MDB-RS) declarou apoio à candidatura de Rossi. “Baleia é extremamente qualificado para o diálogo com qualquer partido, o que é imprescindível para levar à frente as pautas que o País precisa. E isso em nada tem a ver com apoio a pautas da esquerda como muitos dizem”, escreveu no Twitter.

5. Radar corporativo

O conselho de administração da NotreDame Intermédica analisa a partir desta segunda a proposta de fusão feita pela Hapvida. De acordo com fontes ouvidas pelo jornal Valor cujo nome não foi identificado, o conselho deve buscar melhorar os termos oferecidos pela concorrente, possivelmente pedindo aumento do prêmio por ação. Caso se concretize, a fusão criará uma companhia de R$ 118 bilhões.

O Estadão apurou que as empresas de tecnologia Totvs e Locaweb estão na disputa final para a aquisição da RD Station, startup com sede em Florianópolis (SC), líder do segmento de marketing digital, área que tem crescido a passos largos no Brasil.

Já a Movida divulgou no domingo (10)  suas prévias operacionais referentes ao quarto trimestre de 2020. Nos serviços de locação de veículos (RAC) e gestão e terceirização de frota (GTF), a receita líquida do período ficou em R$ 500,8 milhões, avanço de 9,6% em relação aos três últimos meses de 2019. Ou seja, a companhia conseguiu superar os patamares pré-pandemia de covid-19 neste segmento.

Também em destaque, o governo do Paraná pediu à empresa de energia do Estado Copel a distribuição de dividendos extraordinários no maior valor possível neste ano, enquanto também manifestou intenção de vender ações que detém na companhia, embora ainda mantendo o controle acionário. Após a notícia, a Copel teve a recomendação reduzida a underperform pelo Bradesco BBI.

Ainda no radar de recomendações, o BBI revisou o setor de educação e elevou a recomendação para as ações da Ser a outperform, elevou Ânima para neutra, manteve outperform para Yduqs e manteve recomendação neutra para Cogna e Afya. Já o Credit Suisse elevou a recomendação para Usiminas a outperform e reduziu Gerdau e Metalúrgica Gerdau para neutra.

PROCURA-SE: Profissionais de todas as formações estão migrando para uma das profissões mais bem remuneradas do mercado. Entenda como fazer o mesmo nesta série gratuita do InfoMoney!

The post Os 5 assuntos que vão movimentar o mercado nesta segunda-feira appeared first on InfoMoney.

Deixe um comentário