Ações de Vale e Usiminas sustentam ganhos e BB se destaca entre os bancos; Hapvida cai quase 5% à espera de balanço

SÃO PAULO – A sessão foi de otimismo para o mercado, com as bolsas pelo mundo registrando a terceira sessão seguida de ganhos em meio a otimismo com possível descoberta de tratamento ou vacina para o coronavírus.

Commodities registraram ganhos em meio a essas notícias, caso do petróleo, que avançou mais de 2% (tanto o tipo brent quanto o WTI) e puxou no início da sessão as ações da Petrobras para um ganho superior a 1%. Contudo, também de olho na oferta de ações ON da petroleira pelo BNDES, os ativos da companhia fecharam em queda de 0,8%.

Vale (VALE3) e boa parte das siderúrgicas, por sua vez, sustentaram os ganhos: Usiminas (USIM5) registrou alta de 4,90%, com destaque para o relatório do Credit Suisse sobre a companhia. Os analistas do banco reiteraram recomendação outperform, apesar de reforçarem que o momento é mais atrativo para aços longos do que para aços planos.

No início da sessão, o destaque de alta do Ibovespa ficou para os ativos do Bradesco (BBDC3;BBDC4), que chegaram a avançar 4,5% e puxaram os demais bancos após a divulgação de números positivos do quarto trimestre, mas depois amenizaram a alta e fecharam com ganhos de cerca de 2%. O banco que mais subiu dentro do índice foi o Banco do Brasil (BBAS3), com ganhos de 4,46%.

Também entre as maiores altas, a Sabesp (SBSP3) registrou ganho, de 3,19%, novamente repercutindo falas de João Doria, governador de São Paulo. Doria afirmou que, se o novo marco do saneamento permitir, a Sabesp será privatizada. A IRB (IRBR3), por sua vez, viu suas ações subirem quase 3% em meio às discussões sobre se o sell-off dos ativos na segunda-feira é ou não uma oportunidade de compra (veja mais clicando aqui).

Já entre as maiores quedas, a Hapvida (HAPV3) caiu forte em meio às estimativas de menor lucratividade, sendo seguida pela Ambev (ABEV3) com os dados da consultoria Nielsen mostrando que a líder do mercado perdeu 2,3 pontos percentuais de participação de mercado, chegando a 59,4%, enquanto Heineken e Petrópolis cresceram.

Confira mais destaques:

Maiores altas

Ativo Variação % Valor (R$)
USIM5 4.90296 10.27
BBAS3 4.45596 50.4
BPAC11 4.30989 78.9
CMIG4 3.90371 15.97
SBSP3 3.19352 64.95

Maiores baixas

Ativo Variação % Valor (R$)
HAPV3 -4.84108 58.38
ABEV3 -2.26629 17.25
YDUQ3 -1.94346 55.5
ELET3 -1.60539 38
GNDI3 -1.37415 72.49

Bradesco (BBDC3;BBDC4)

O Bradesco publicou seu balanço do quarto trimestre de 2019 na manhã de hoje. O banco informou um lucro líquido de R$ 6,6 bilhões no período, uma expansão de 14% sobre igual período de 2018 e de 1,6% sobre o trimestre anterior.

A carteira de empréstimos cresceu 13,8% sobre igual período do ano anterior, para R$ 605 bilhões. O banco também informou que o total de ativos sob seu poder atingiu R$ 1,4 trilhão no quarto trimestre do ano passado, um crescimento de 1,7% sobre igual período de 2018 e de 0,3% sobre o trimestre anterior. O lucro líquido por ação foi de R$ 3,22, um pouco abaixo dos R$ 3,3 do quarto trimestre de 2018, embora superior aos R$ 3,12 do terceiro trimestre de 2019. Veja mais clicando aqui. 

O Banco Morgan Stanley comentou os resultados, classificando-os “sólidos”, com mais fatores “positivos do que negativos”. Segundo a avaliação, “as margens e taxas foram positivas, ao contrário dos argumentos pessimistas de que os bancos virtuais estão avançando sobre os grandes bancos”. Para 2020, o Morgan Stanley projeta que o crescimento nas margens e taxas segue a mesma tendência. “O lucro com as taxas cresceu 4% no quarto trimestre sobre o trimestre anterior.

Os empréstimos tiveram expansão trimestral de 4% e anual de 15%, com crescimento em todas as categorias”, avalia o banco. Por outro lado, as despesas operacionais do Bradesco cresceram apenas 1% no trimestre e 5% no ano, “o que demonstra um comprometimento da gerência para controlar os custos em um ambiente com juros mais baixos”. O Morgan mantém a recomendação overweight, ou exposição “acima da média” para as ações BBDC3 e BBDC4.

O Credit Suisse avaliou como “positivos” os resultados: os analistas do banco suíço dizem que o mais importante está no guidance para 2020, projetando um lucro bruto de R$ 27,7 bilhões para o Bradesco, acima em 2% das estimativas do Credit Suisse. “Os destaques positivos foram a aceleração no book de empréstimos do varejo e uma aceleração moderada nas taxas”, comentam sobre os resultados de 2019. “Mantemos nossa visão construtiva para o papel”.

Hapvida (HAPV3)

As ações da Hapvida caíram forte, com operadores avaliando as perspectivas para os resultados do quarto trimestre, que devem ser divulgados em março. A consolidação de empresas recém-adquiridas São Francisco e Grupo America provavelmente resultará em maior índice de
sinistralidade e menor margem Ebitda no quarto trimestre, escreveram os analistas do Itaú BBA liderados por Thiago Macruz em relatório de 4 de
fevereiro. Espera-se que a consolidação de ativos afete a lucratividade de curto prazo.

No final de janeiro, o Bradesco BBI disse que adotou visão conservadora para Hapvida no curto prazo. A integração de aquisições recentes e o fato de a empresa “historicamente reportar resultados voláteis” aumentam a visibilidade limitada dos resultados do quarto trimestre da Hapvida. “Embora continuemos altamente otimistas com os fundamentos da empresa, estamos adotando um tom mais conservador no curto prazo”, afirmaram.

Petrobras (PETR3; PETR4

A Petrobras iniciou a fase vinculante para vender todos os seus ativos no Uruguai. Segundo a petrolífera estatal brasileira, os interessados em participar do processo receberão uma carta-convite e poderão adquirir 100% das ações da companhia na Petrobras Uruguay Distribución S.A. (PUDSA). A Petrobras informou que o desinvestimento faz parte dos seus planos de gerar maior valor para os acionistas. A PUDSA controla 90 postos de combustíveis, 16 lojas de conveniência, um terminal logístico de lubrificantes e dois terminais de armazenamento de fertilizantes líquidos.

Estreia da Mitre

A ação da Mitre, construtora que atua no segmento de classe média, em São Paulo, estreou na B3, sob o código MTRE3., com ganhos de 7,77%.

No IPO, a arrecadação foi de R$ 1,18 bilhão. Trata-se da primeira abertura de capital (IPO, na sigla em inglês) do País do ano. A companhia familiar irá usar o dinheiro que chega para a compra de terrenos e para o pagamento de custos de construção e despesas operacionais.

A Mitre está listada no Novo Mercado, segmento de mais elevadas exigências de governança corporativa da B3.

A construtora teve suas ações precificadas em R$ 19,30 cada no IPO (Oferta Pública Inicial), ficando no topo da faixa indicativa, que partia de R$ 14,30.

Qualicorp (QUAL3)

A Qualicorp foi informada que o fundador da companhia, José Seripieri Filho, reduziu a participação na companhia para aproximadamente 2,75% das ações ordinárias, em razão da alienação de 20.438.765 ativos de emissão da companhia.

Os analistas do Bradesco BBI avaliam o movimento como positivo, pois significa: (i) mais liquidez para o ativo; e (ii) poder completo e nenhuma interferência para a Rede D’Or administrar a empresa, e os analistas do banco esperam que eles façam mudanças significativas em termos de controle de custos. “A Qualicorp é o melhor nome para o setor no curto prazo”, apontam os analistas, que possuem recomendação equivalente à compra para a ação e preço-alvo de R$ 50.

A venda de ações por Seripieri Filho aconteceu seis meses depois de vender 10% da companhia para a Rede D’Or — desde então o acionista de referência da Qualicorp.

Oi (OIBR3;OIBR4)

A operadora de telefonia Oi, em recuperação judicial, comunicou ao mercado que concluiu a subscrição e integralização da sua primeira emissão de debêntures simples, da sua controlada Oi Móvel S.A. Segundo a operadora, a emissão teve o valor de R$ 2,5 bilhões e está no “Plano de recuperação judicial”. A emissão foi anunciada pela OI em 23 de dezembro do ano passado.

Gol (GOLL4)

A empresa aérea Gol informou que suas decolagens cresceram 5,8% em janeiro deste ano, sobre dezembro, para 25.892 operações, enquanto a taxa de ocupação subiu para 83,9%, em expansão sobre os 83,5% de dezembro. O número de passageiros transportados cresceu de 3,4 milhões de pessoas em dezembro para 3,6 milhões em janeiro, em expansão de 5,5%.

O crescimento nos passageiros transportados foi maior nos voos internacionais que nos domésticos, segundo os dados divulgados hoje: houve aumento de 8,2% em janeiro para 230 mil passageiros, enquanto o crescimento de passageiros nos voos domésticos foi menor, de 5,4% para 3,4 milhões. Outros números positivos da Gol foram a oferta (ASK), que caiu 0,1% em janeiro para 5,16 milhões de assentos, enquanto a demanda (RPK) cresceu 0,4% para 4,3 milhões de assentos.

Eletrobras (ELET3;ELET6)

A Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) autorizou a Companhia Hidrelétrica do São Francisco (Chesf), subsidiária da Eletrobras, a incorporar a Transmissora Delmiro Gouveia S.A. (TDG). A empresa incorporada atua em vários estados da Região Nordeste do país.

CCR (CCRO3)

O Grupo CCR informou que sua subsidiária, a concessionária Nova Dutra, tentará reverter “por meios legais” a determinação para que o pedágio seja reduzido em 5,26% em todas as praças da rodovia Presidente Dutra (BR-116 entre São Paulo e Rio). A determinação é da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) e foi expedida em 23 de dezembro do ano passado.

Dommo Energia (DMMO3)

A Dommo anunciou a produção de óleo do Campo de Tubarão Martelo, operado pela companhia no sul da Bacia de Campos, no Rio de Janeiro, com a produção atingindo 178.241 barris no mês de janeiro de 2020.

Seja sócio das melhores empresas da Bolsa: abra uma conta na Clear com taxa ZERO para corretagem de ações

The post Ações de Vale e Usiminas sustentam ganhos e BB se destaca entre os bancos; Hapvida cai quase 5% à espera de balanço appeared first on InfoMoney.

Deixe um comentário